segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Weight Loss and Health Status 3 Years after Bariatric Surgery in Adolescents

Thomas H Inge, Anita P. Courcoulas, Todd M Jenkins, Mark P. Michalsky, Michael A Helmrath, Mary L. Brandt, Carroll M Harmon

N Engl J Med 2016; 374:113-123
http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1506699

Trata-se de estudo observacional prospectivo multicêntrico, cujo principal objetivo era avaliação da eficácia e segurança da cirurgia bariátrica em adolescentes após 3 anos do procedimento. Os pacientes elegíveis para o estudo deveriam ter menos de 19 anos e terem sido submetidos a cirurgia bariátrica 2009 a 2012. Eram excluídos aqueles com impossibilidade de comunicação. Foram avaliados como desfechos: remissão/prevalência de comorbidades (hipertensão, dislipidemia, diabetes, pré-diabetes e insuficiência renal crônica), alterações laboratoriais (vitamina B12, folato, vitamina D, ferro, ferritina), qualidade de vida, necessidade de reintervenção cirúrgica, altura/peso, complicações e mortalidade.
Entre os 242 pacientes elegíveis, foram avaliados os que realizaram bypass em Y de Roux e gastrectomia sleeve, 161 e 67 pacientes, respectivamente. Os pacientes tinham em média 17 anos e eram predominantemente do sexo feminino (75%), com peso pré-operatório de 149 kg e IMC de 53 kg/m2. Houve perda de 28% em relação ao basal no grupo do bypass e 26% no grupo que realizou gastrectomia. Quanto às comorbidades, houve remissão da hipertensão em 74% dos 96 hipertensos avaliados. Após 3 anos, 66% dos dislipidêmicos normalizaram o perfil lipídico. A remissão do diabetes ocorreu em 95% dos 29 pacientes que tinham a doença antes da cirurgia; não houve relatos de novos casos da doença no seguimento. Houver melhora da qualidade de vida (P < 0,01; escores padronizados) 3 anos apos a cirurgia. Quando avaliadas as variáveis nutricionais, 57% dos pacientes (P < 0,01) apresentaram baixos níveis de ferritina e 35%, baixos níveis de vitamina B12. Foram necessárias reintervenções cirúrgicas em 24% dos pacientes após 1 ano de cirurgia, 55% após o segundo ano e 21% no terceiro ano. Um paciente com diabetes tipo 1 não diagnosticado faleceu após 3,3 anos da cirurgia. No clube de revista discutimos:
·         Houve o benefício esperado para uma cirurgia bariátrica considerando-se o peso;
·         A perda de peso se manteve ao longo dos 3 anos de pós-operatório e houve  redução das comorbidades, apesar do pequeno número de pacientes diabéticos incluídos;
·         O estudo é limitado pela sua natureza observacional e pela ausência de um grupo controle com mudanças de estilo de vida;
·         Houve perda de 24% dos dados laboratoriais dos pacientes, o que pode representar outra limitação do estudo.

Pílula do clube: Cirurgia bariátrica em adolescentes tem resultados satisfatórios em termos de perda de peso e controle de comorbidades. No entanto, o impacto da necessidade de seguimento para controle dos micronutrientes e das altas taxas de reintervenção deve ser considerado.


Discutido no Clube de Revista de 30/11/2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ultrasonographic and clinical parameters for early differentiation between precocious puberty and premature thelarche

Liat de Vries, Gadi Horev, Michael Schwartz, and Moshe Phillip European Journal of Endocrinology 2006, 154:891–898 ht...