quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Comentário do Clube de Revista de 16/11/2010

TSH reference values for adult Brazilian population
Pedro Weslley Rosario, Arthur Cezar Malard Xavier, Maria Regina Calsolari
Arq Bras Endocrinol Metab. 2010;54/7 (http://www.scielo.br/pdf/abem/v54n7/03.pdf)

Este estudo aborda a questão dos valores de referência do TSH e se propõe a definir estes valores para a população brasileira a partir de um estudo em uma população de Belo Horizonte, Minas Gerais. Da mesma maneira que estudos já disponíveis na literatura internacional e de acordo com as recomendações da National Academy of Clinical Biochemistry, tentou-se retirar da amostra estudada pacientes com doença tireoideana. Como resultado, os autores apontam como valores de referência para a população brasileira, valores entre 0,43 e 3,24 mIU/L. Após a discussão no Clube de Revista, levantamos as seguintes limitações deste resultado:
  • O estudo não descreve adequadamente como foram selecionados os indivíduos avaliados, o que dificulta a generalização dos resultados (limitação da validade externa).
  • Como limitação a todos os estudos que objetivam avaliar os valores de referência de TSH para o diagnóstico de hipotireoidismo, este estudo também não apresenta correlação com variáveis clínicas, o que - se feito - poderia sugerir o ponto de corte de TSH a partir do qual existe repercussão biológica da disfunção tireoideana. Ainda que este item fosse contemplado, ainda ficaria a indefinição sobre se intervir em pacientes com TSH acima deste ponto de corte se traduziria em algum benefício clínico. De um modo geral, esta é uma limitação do conceito de normalidade atualmente vigente na cultura médica.

sábado, 20 de novembro de 2010

Produções do Clube de Revista


Durante estes três anos de atividade o Clube de Revista já fez algumas contribuições para a literatura, todas elas baseadas nas discussões realizadas nas tardes de terça-feira:

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Comentário do Clube de Revista de 09/11/2010


Effects of Diet and Physical Activity Interventions onWeight Loss and Cardiometabolic Risk Factors in Severely Obese Adults:
 A Randomized Trial
Bret H. Goodpaster; James P. DeLany; Amy D. Otto; et al.
JAMA 2010; 304 (16): 1795-1802


O estudo aborda a questão da efetividade do tratamento não farmacológico em pacientes com obesidade mórbida. Os resultados mostraram que este grupo de pacientes perdeu cerca de 10 Kg (~10% peso corporal) em 1 ano, independente de início do exercício imediatamente ou 6 meses após a randomização. Apesar do resultado interessante, em especial o potencial deste tipo de intervenção ser também efetiva na obesidade mórbida, o estudo apresenta algumas limitações importantes:

  • Seleção apenas de pacientes altamente motivados;
  • Ausência de um grupo controle de pacientes com tratamento não farmacológico ou farmacológico usual;
  • Método de randomização não descrito;
  • Desfecho primário não concordante com o registrado no Clinical Trials (http://clinicaltrials.gov/show/NCT00712127)

Ultrasonographic and clinical parameters for early differentiation between precocious puberty and premature thelarche

Liat de Vries, Gadi Horev, Michael Schwartz, and Moshe Phillip European Journal of Endocrinology 2006, 154:891–898 ht...