sábado, 28 de setembro de 2013

Comentário do Clube de Revista de 27/05/2013 (1)

Metformin Treatment for Four Years to Reduce Total and Visceral Fat in Low Birth Weight Girls with Precocious Pubarche
Lourdes Ibáñez, Abel López-Bermejo, Marta Díaz, Maria Victoria Marcos, Francis de Zegher

J Clin Endocrinol Metab 93: 1841–1845, 2008

Este ensaio clínico randomizado controlado sem placebo foi realizado com o objetivo de avaliar efeitos da metformina na maturação e crescimento puberal e na composição corporal em meninas com baixo peso ao nascer logo após o diagnóstico de pubarca precoce. Foram incluídas meninas com pubarca precoce devido à adrenarca exagerada, peso < 2,9 kg a termo (38-41 semanas) ou < -1 DP para IG se pré-termo (33-37 semanas), IMC < 22 kg/m2 e estágio pré-puberal, com idade média de 7,9 anos. Foram excluídas pacientes com história familiar ou pessoal de diabetes melito, disfunção tireoidiana, intolerância à glicose, hiperplasia adrenal congênita forma tardia, e as em uso de medicações passíveis de interferir com a função gonadal ou o metabolismo dos carboidratos. Foram randomizadas 38 pacientes em 2 grupos: grupo metformina (425mg/dia por 2 anos e, após, 850 mg/dia por 2 anos; n = 19) e grupo sem tratamento (n = 19). Os desfechos principais avaliados foram: medidas antropométricas, composição corporal, status de menarca, glicemia, insulinemia, níveis de testosterona, IGF-1, leptina, adiponectina e perfil lipídico. Após 4 anos, comparativamente com o grupo sem tratamento, o grupo tratado com metformina apresentou cerca de 50% menos ganho de massa gorda (10,3±1,2 vs 4,8±0,7 kg; p≤0,001), menor IMC (Δ Z score 0,1±0,3 vs -0,8±0,2; p≤0,01), menor resistência insulínica (insulinemia 18,3±1,9 vs 13,4±1,3 µU/mL, p para Δ <0,05; HOMA-IR 4,2±0,5 vs 3,2±0,3, p para Δ <0,05), menor níveis de testosterna (70±10 vs 47±4 ng/dL, p para Δ <0,05), menores níveis de IGF-1 (555±22 vs 443±20 ng/mL, p para Δ <0,05) e melhora do perfil lipídico (colesterol HDL 49±2 vs 57±2 mg/dL, triglicerídeos 88±13 vs 76±11 mg/dL, ambos com p para Δ <0,05; colesterol LDL sem diferença estatística). Um menor número de pacientes do grupo metformina apresentou menarca durante o seguimento (18 vs 11, p<0,01). O ganho de massa magra e altura foram similares. Houve ainda maior aumento de gordura visceral, relação gordura visceral/subcutânea e relação leptina/adiponectina no grupo sem tratamento. Entre os meses 42 e 48, a velocidade de crescimento foi menor no grupo sem tratamento (4±0,8 vs 5±0,6cm/ano; p=0,04). Durante o Clube de Revista, os seguintes pontos foram discutidos:
  • Não foi descrito cálculo de amostra e poder do estudo, bem como não foram definidos os desfechos primários;
  • Os achados do estudo podem ser atribuídos em parte a efeito placebo, visto que o grupo comparativo ao grupo metformina não recebeu placebo;
  • Não foram descritos os efeitos adversos gastrintestinais comumente associados à metformina;
  • Apesar de buscar incluir pacientes com baixo peso ao nascer, o estudo teve critério de inclusão que abrangia pacientes fora desta classificação.


Pílula do clube: O tratamento com metformina por quatro anos em pacientes com pubarca precoce parece reduzir a gordura total e visceral, melhorar parâmetros de resistência insulínica e atrasar o aparecimento da menarca. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lower versus Traditional Treatment Threshold for Neonatal Hypoglycemia

van Kempen AAMW, Eskes PF, Nuytemans DHGM, van der Lee JH, Dijksman LM, van Veenendaal NR, van der Hulst FJPCM, Moonen RMJ, Zimmermann LJI...