segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Comentário do Clube de Revista de 12/07/2011

Early versus Late Parenteral Nutrition in Critically Ill Adults
Michael P. Casaer, Dieter Mesotten, Greet Hermans, Pieter J. Wouters, Miet Schetz, Geert Meyfroidt, Sophie Van Cromphaut, Catherine Ingels, Philippe Meersseman, Jan Muller, Dirk Vlasselaers, Yves Debaveye, Lars Desmet, Jasperina Dubois, Aime Van Assche, Simon Vanderheyden, Alexander Wilmer and Greet Van den Berghe.

N Engl J Med 2011
http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1102662


            Neste ECR, pacientes internados em unidade de tratamento intensivo foram randomizados para receber nutrição parenteral de forma precoce ou tardia com a finalidade de complementar a nutrição enteral. Foram incluídos 2312 pacientes no grupo precoce (nutrição parenteral iniciada em até 48 horas após a internação na UTI) e 2328 pacientes no grupo tardio (nutrição parentereal não era iniciada antes do dia 8). Além disso, todos os pacientes recebiam insulina em infusão contínua (protocolo para manter euglicemia). Em relação ao desfecho primário (tempo de permanência na UTI), houve aumento do tempo de internação nos pacientes randomizados para o grupo precoce (4 vs 3 dias; p=0,02). Nos desfechos secundários, o grupo de início tardio teve aumento da chance de ter alta vivo da UTI e do hospital, menor taxa de infecções na UTI, de colestase e redução dos custos relacionados aos cuidados. Durante a discussão do Clube de Revista, os seguintes pontos foram levantados:

  • Apesar do grande número de pacientes e do delineamento adequado, o impacto da intervenção foi pequeno, provavelmente pela complexidade/heterogeneidade dos pacientes incluídos;
  • Os resultados do estudo apresentam validade externa limitada uma vez que o uso do protocolo de infusão de insulina utilizado por este grupo (Van der Berghe et al.) nunca teve seus resultados replicados em outros grupos.

Pílula do Clube: O uso de nutrição parenteral precoce apresentou piores desfechos quando comparado o uso tardio. Estes achados representam uma mudança de paradigma frente as práticas atuais vigentes em nosso meio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lower versus Traditional Treatment Threshold for Neonatal Hypoglycemia

van Kempen AAMW, Eskes PF, Nuytemans DHGM, van der Lee JH, Dijksman LM, van Veenendaal NR, van der Hulst FJPCM, Moonen RMJ, Zimmermann LJI...