domingo, 17 de abril de 2011

Comentário do Clube de Revista de 12/04/2011

Growth Hormone plus Childhood Low-Dose Estrogen in Turner’s Syndrome
Judith L. Ross, Charmian A. Quigley, B.S., Dachuang Cao, Penelope Feuillan, Karen Kowal, John J. Chipman, and Gordon B. Cutler.
N Engl J Med 2011;364:1230-42.

Neste ECR double-dummy controlado por placebo os investigadores estudaram o efeito do uso de hormônio do crescimento (GH) e estrógeno em dose ultra-baixa na altura final de meninas com síndrome de Turner. Para isso 149 meninas (5 a 12,5 anos) foram randomizadas em quatro grupos: placebo SC/placebo VO; GH/placebo VO; placebo SC/estrógeno dose muito baixa (25 ng/kg/dia dos 5 aos 8 anos e 50 ng/kg/dia até os 12 anos) VO; GH/estrógeno dose muito baixa. O desfecho primário era a altura na idade adulta, avaliado por intention to treat modificado e per protocol. Como resultado principal, o grupo GH quando comparado com o placebo apresentou ganho de 5 cm na altura final (P<0,001). Em relação ao estrógeno dose muito baixa, não houve ganho significativo de altura (2,1 cm; P=0,059). Durante a discussão do Clube de Revista, os seguintes pontos foram abordados:
·         Apesar da randomização parecer adequada na sua descrição, houve desequilíbrio entre os grupos em relação às variáveis idade cronológica e óssea, resultando em um viés conservador;
·         A dose e o esquema de administração do GH foram diferentes das usadas usualmente, resultando em uma dose mais baixa de GH;
·         A análise dos pacientes per protocol é extremamente limitada, pela grande quantidade de perdas, principalmente nos grupos que estavam usando placebo de GH (cerca de 50%);
·         O estudo não atingiu o número de pacientes planejado e juntamente com as perdas, este fato limita a conclusão em relação ao uso do estrógeno;
·         Não foram avaliados desfechos de qualidade de vida que são importantes no momento de decidir sobre o uso dessas intervenções.
Pílula do Clube: O estudo demonstrou que o GH parece ter um papel no ganho de altura de meninas com síndrome de Turner. Tendo em vistas as falhas metodológicas, o uso deste medicamento ainda deve ser individualizado e discutido com a paciente e familiares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lower versus Traditional Treatment Threshold for Neonatal Hypoglycemia

van Kempen AAMW, Eskes PF, Nuytemans DHGM, van der Lee JH, Dijksman LM, van Veenendaal NR, van der Hulst FJPCM, Moonen RMJ, Zimmermann LJI...